Planejamento de marketing em 6 passos

A palavra estratégia deriva do grego strategía, que significa a arte do general. Por definição, qualquer semelhança com a área empresarial, não é mera coincidência. Para ter sucesso, é fundamental ter uma estratégia.

Nenhum negócio consegue ser bem sucedido se não souber onde está, para onde quer ir e como vai fazer para chegar lá. Sendo assim, a primeira tarefa do empreendedor é planejar, definir quais são seus objetivos e como fazer para alcançá-los. É aí que entre o planejamento.

Mas, afinal, como fazer um planejamento de marketing? Será que isso se aplica à minha empresa? Como é o marketing para as pequenas e médias empresas? Que etapas preciso seguir? Essas são algumas das perguntas mais frequentes quando se trata de planejamento estratégico ou planejamento de marketing. O mais importante é não pular etapas e seguir o passo a passo, adaptando a teoria de acordo com a sua realidade. 

Sobre o que estamos falando? Antes de começar um planejamento de marketing, é importante que se saiba, afinal, o que é isso. De forma simples e clara, PLANEJAMENTO é o processo que leva a empresa a definir missão, objetivos e as estratégias para alcançar esses objetivos.

Portanto, missão é o que a empresa faz; os objetivos são a visão da empresa, onde ela quer chegar em determinado espaço de tempo; as estratégias são o plano de voo da empresa para chegar aos objetivos propostos, é o que vai dar o norte para o meu planejamento.

Planejamento de marketing passo a passo

1 – Análise Situacional

Ela permite que a empresa compreenda suas forças e limitações, assim como as demandas existentes. Uma análise detalhada do ambiente mercadológico propicia a escolha do posicionamento e das estratégias adequadas. É aí que entra a análise de forças, fraquezas, ameaças e oportunidades, levando em consideração o micro ambiente e o macro ambiente.

2 – Missão organizacional

Ela traduz o que a empresa é. A missão define “qual é o nosso negócio e por que existimos?”. Para isso, deve-se levar em consideração alguns fatores importantes como o mercado alvo, os produtos e serviços que a empresa oferece. A missão serve, entre outras coisas, para orientar os colaboradores que devem saber, claramente, qual o seu papel neste organismo. É importante salientar que a missão deve ser condizente com o negócio. Eu não posso, por exemplo, dizer que a minha empresa se diferencia pela qualidade no atendimento, se meus atendentes são mal preparados. A missão da empresa não é estanque. Ela é flexível e adaptável de acordo com as mudanças mercadológicas e gerenciais do negócio.

3 – Objetivos

A visão da empresa determina onde ela quer chegar e quando chegará. Por isso, além de clara e objetiva, deve ser mensurável e alcançável, além de específicos e desafiadores. Os objetivos da empresa devem estar claros para todos os funcionários, de todos os níveis. É importante que cada um saiba qual o seu papel, o que deve ser feito e quem fará. Os objetivos estabelecidos podem ter relação com lucratividade, rentabilidade ou participação no mercado, para isso, devem ser mensuráveis. Se eu quiser aumentar a participação no mercado em X percentual, devo saber qual a participação da minha empresa e dos meus concorrentes, hoje, amanhã, semana que vem...Por isso, a missão da empresa deve ser objetiva e também desafiadora para que todos se sintam estimulados, porém, ela deve ser alcançável. Uma visão inatingível pode acabar despendendo esforço sem retorno e frustração.

 4 – Estratégias de marketing

Alinhadas com a missão da empresa, as estratégias de marketing vão ajudar a alcançar os objetivos previamente definidos. Pode ser através de um novo produto ou serviço, redefinição do mercado alvo, nova política de preços, promoções, seleção de pontos de venda, ou seja, as estratégias são definidas alinhando os elementos do composto de marketing (produto, preço, praça e promoção) com a missão e os objetivos da empresa.

5 – Implementação

É quando as estratégias saem do papel e passam a ser executadas na prática. Muitas vezes, na implantação percebe-se que as estratégias são diferentes do que se esperava. Um dos problemas mais comuns é que, normalmente, quem planeja a estratégia é uma pessoa (geralmente, o gerente), mas quem implementa, é outra (vendedores, por exemplo). Outros problemas , como a evolução ou a defasagem das estratégias, também podem comprometer a implementação. Por isso, deve haver sincronismo entre quem planeja e quem executa. 

6 – Monitoramento

Os objetivos da empresa devem ser mensuráveis e o monitoramento é fundamental para isso. Afinal, como saber se eu “cheguei lá” sem medir os resultados das minhas ações. Para isso, algumas ferramentas de controle podem ser utilizadas como a análise de vendas, a análise de custos de marketing e a auditoria de marketing. Também é fundamental estabelecer o desempenho pretendido e o desempenho realizado. Esses são indicadores que podem sugerir mudanças em qualquer uma das fases do planejamento desde a missão, até o desempenho dos colaboradores.

É importante dizer que o planejamento é uma ferramenta que pode ser utilizada por empresas de todos os tamanhos. Desde um microempreendedor individual, até uma multinacional, todos devem planejar seus objetivos e ações, afinal, ninguém tem tempo a perder insistindo em erros ou, o que é pior, à deriva no mar dos negócios.

 

Via www.administradores.com.br

 

PRECISA DE UMA AGÊNCIA DIGITAL?
Entre em contato conosco e solicite uma proposta para sua empresa.

SOLICITAR

Acompanhe nossas redes sociais